top of page
  • Foto do escritorMarcelo Asamura

Marina Fukuhara assume presidência da JCI Brasil-Japão e mira projetos inovadores - Nipponjá

09 de fevereiro de 2024, sex - Aldo Shiguti



Em cerimônia realizada nesta segunda-feira (5), no Auditório Franco Montoro da Alesp (Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo), tomou posse o novo Conselho Diretor da Gestão 2024 da JCI Brasil-Japão. A nova diretoria terá à frente Marina Akemi Fukuhara.


Formada em Ciências Farmacêuticas pela PUC-Campinas – é encarregada da garantia da qualidade da UFAR HC-FMUSP – Marina Fukuhara é filha da cirurgiã dentista Lúcia e de Carlos Kendi Fukuhara (diretor de Relações Governamentais e Cerimonial do Bunkyo). Ela assume no lugar do advogado Hugo Takeji Teruya.


Compuseram a Mesa, além de Hugo Teruya (Presidente Local 2023) e  Marina Fukuhara (Presidente Local 2024), o cônsul geral do Japão em São Paulo, Toru Shimizu; o presidente da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa no Brasil, Yuki Kodera; o presidente do Bunkyo – Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa e de Assistência Social –, Renato Ishikawa; o presidente do Senado JCI Brasil, Jun Mabe; a vice-presidente da JCI Brasil, Laiza Melo e o vereador George Hato.


Na plateia, além de membros juniores e seniores, estiveram presentes também o representante chefe do Escritório da Jica Brasil, Masayuki Eguchi; o presidente da Kenren (Federação das Associações de Províncias do Japão no Brasil), Toshio Ichikawa; o presidente da Enkyo – Beneficência Nipo-Brasileira de São Paulo – Paulo Saita; o presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Roberto Nishio; o presidente da Acenpro (Associação Cultural e Esportiva Nipo-Brasileira de Promissão/SP), Fabio Maeda; o presidente da Associação Cultural Nipo-Brasileira de Registro), Kunihiko Takahashi e o presidente da Aliança Cultural Brasil-Japão, Eduardo Yoshida, entre outros.


Após as execuções dos hinos nacionais do Japão e do Brasil, Max Hasimoto leu a Carta de Princípios.



Presidente Marina Fukuhara, Passado Presidente Hugo Teruya e Cônsul-Geral Toru Shimizu

Sewa e Omotenashi – O presidente do Bunkyo iniciou a série de discursos saudando a nova diretoria e parabenizando o trabalho da gestão anterior sob o comando do advogado Hugo Teruya, que também ocupa o cargo de secretário geral do Bunkyo. Renato Ishikawa destacou a parceria com a JCI Brasil-Japão na realização do Projeto Saúde Sewa. “Um projeto bacana porque dá assistência às pessoas que precisam. E nós, para comprovarmos, estivemos juntos, eu e a Olga Ishida, e posso afirmar que fomos muito bem tratados, fizemos testes, medimos nossa pressão arterial, exames e também recebemos acupuntura”, disse Ishikawa, lembrando que, no início de sua gestão à frente do Bunkyo, em 2019, buscou fortalecer o papel dos jovens nas associações. “Nesse sentido, a JCI Brasil Japão, por meio do seu Conselho Diretor e de seus membros, tem sido uma entidade parceira de enorme importância nos auxiliando em organização dos nossos eventos”, explicou o presidente do Bunkyo.


Yuki Kodera agradeceu a presença de Hugo Teruya nos almoços mensais da Câmara e por ter planejado o Projeto Omotenashi, “que proporcionou um valioso intercâmbio entre os membros da JCI e os jovens membros da Câmara de Comércio”.


Kodera observou que a Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil” é ainda predominantemente masculina e somente no ano passado foi estabelecido um subcomitê focado em mulheres”. “A promoção da diversidade inclusiva na Câmara é essencial e contamos com o apoio da presidente Marina Fukuhara”, disse Yuki Kodera.


Membros do Conselho Diretor 2024 e novos diretores


Impactos positivos – Presidente do Senado Brasil, Jun Mabe deu boas-vindas a nova presidente afirmando que “tenho certeza que ela vai assumir esse cargo com muita responsabilidade e com muito comprometimento, como nós a conhecemos por todo o trabalho que já vem realizando”. “Também tenho plena confiança na sua capacidade de liderar, de enfrentar os desafios e aproveitar as oportunidades para que a nossa organização cresça cada vez mais”, disse Jun Mabe, acrescentando que “nossa organização é um exemplo inspirador de como gerar impactos positivos trabalhando principalmente a cultura japonesa e a cultura brasileira, unindo as culturas, as tradições dos dois povos e criando impactos positivos na comunidade”.


Ele finalizou sua fala lembrando que  em 2014 teve oportunidade de ouvir o discurso do ex-primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, e também teve oportunidade de reencontrá-lo em 2015, em Tóquio, quando participou do programa Gaimusho. “O ex-primeiro-ministro nos convidou a progredir juntos, liderar juntos e inspirar juntos. E eu aproveito para reforçar esse pedido, reforçar esse pensamento. É através de nossos esforços coletivos que nós moldaremos um futuro melhor para as nossas nações e para o mundo em que vivemos”, concluiu.


Já o vereador George Hato disse ser um admirador do trabalho realizado pela JCI Brasil-Japão e destacou a “criatividade na busca de soluções inovadoras que transformam e trazem um futuro melhor para o nosso planeta”. “Essa reunião de jovens líderes, sempre motivados e ativos, renova a nossa esperança de que as novas gerações podem, sim, viver uma sociedade mais justa e produtiva”, comentou o parlamentar.



A partir da esq. Vereador George Hato, Renato Ishikawa, cônsul Toru Shimizu, Marina Fukuhara, Laiza Melo, Hugo Teruya, Jun Mabe, Yuki Kodera e Roberto Nishio, que comandou o brinde.

Marina Fukuhara toma posse como nova presidente da JCI Brasil-Japão Gestão 2024


Valores– Em sua fala, o cônsul geral Toru Shimizu explicou que, “mundialmente, a Junior Chamber International tem desempenhado um papel essencial na formação de jovens e lideranças, fomentando a cidadania e impulsionando a juventude na promoção de mudanças transformadoras em suas comunidades”.


“Fico ainda mais feliz em testemunhar que os membros da JCI Brasil-Japão fazem parte da juventude nikkei que têm abraçado os valores transmitidos por seus antepassados japoneses, valores como resiliência, honestidade, solidariedade e trabalho comunitário. É motivo de muito orgulho observar tais valores refletidos em suas variadas atuações”, disse Toru Shimizu.


Laiza Melo lembrou que o presidente da JCI Mundial, Kaveen Kumar tem como lema, Let’s Make a Difference. “E são quase 42 anos que a JCI Brasil-Japão, faz a diferença. Não só na comunidade japonesa, mas também em São Paulo e no Brasil, inclusive cedendo nomes como o de Jun Mabe, o nosso passado presidente nacional. Vocês aqui na JCI, Brasil-Japão, atuam pensando nas pessoas. São projetos voltados para saúde, integração, networking e responsabilidade. É lindo ver o quanto vocês se dedicam para unir o passado, o presente, pensando no futuro”, afirmou a vice-presidente da JCI Brasil.


Marina com os pais, Lúcia e Carlos Kendi, e o irmão, Daniel.


Parcerias – Em seu discurso, Hugo Teruya destacou que “a jornada da gestão 2023 foi bastante intensa para todos os membros, cada um com seus desafios, de ordem pessoal, de ordem profissional, mas mesmo assim, todos, cada um à sua maneira, estiveram sinceramente engajados para contribuir para realizar diversas atividades, projetos e eventos”.


E citou projetos como Omotenashi. Com apoio da Câmara de Comércio e Indústria Japonesa do Brasil, o projeto tem como  objetivo criar um ambiente acolhedor para os japoneses residentes no Brasil. Ele lembrou que o Omotenashi teve três edições e em todos os encontros os membros puderam aperfeiçoar o inglês, praticar o nihongo e formar novos laços de amizade. “E ainda, de alguma forma, gerar um agradável intercâmbio cultural Brasil-Japão com expatriados e também colaboradores da Jica e Jetro”.


Fórum – Teruya também reforçou a parceria com a Jica no Fórum de Lideranças realizado na cidade de Lins. “Foram dias que, certamente, continuarão guardados com muito carinho na memória de cada participante. E o Fórum de Lins também contou com o honroso apoio institucional do Consulado Geral do Japão em São Paulo, que, no ano de 2023, também apoiou a retomada do Projeto Oratória nas Escolas, cuja finalidade é conscientizar a comunidade escolar sobre a importância da prática oratória de nossos jovens”, disse Teruya, que destacou também “a iniciativa pioneira de levar o concurso de debates para dentro das escolas”.


E finalizou agradecendo os parceiros, patrocinadores, colaboradores e equipe que esteve com ele em 2023, além de fazer um agradecimento especial à família. E, dirigindo-se à sua sucessora, disse que “muito além de desejar-lhe boa sorte e sabedoria, coloco-me à disposição para caminhar na gestão 2024 da JCI Brasil-Japão sob sua cativante liderança”.


Bom senso e responsabilidade – Em seu primeiro discurso como presidente da JCI Brasil-Japão; Marina Fukuhara agradeceu o deputado estadual Márcio Nakashima pela cessão do auditório e disse que não será fácil suceder a Hugo Teruya que, “mesmo diante de tantos obstáculos encontrados, se despede deixando importantíssimos avanços em nossas pautas”. Segundo ela, em sua gestão pretende se empenhar para chegar à altura da sua administração, e para isso conto ainda com sua ajuda, com seus conselhos e orientações”.

Marina explicou que assumirá muitas tarefas, mas que está confiante de que sua gestão será pautada pela “busca impensável do consenso, sem, no entanto, deixar de lado nossos objetivos”. “Queremos construir um ótimo relacionamento com nosso grupo de trabalho, com a JCI Brasil e Mundial, com o poder público, com a iniciativa privada e com as entidades da sociedade nipo-brasileira e com todos os povos e etnias que fazem parte da sociedade brasileira”, disse, acrescentando que “por isso, estamos cada vez mais abrindo as portas da JCI para dizer: sejam todos bem-vindos”.


Afirmou que quer dar um novo impulso à nossa organização e que os jovens desempenham um papel fundamental na sociedade. “Eles são a próxima geração de líderes, inovadores e a gente tem mudança. No entanto, a percepção dos jovens na sociedade atual pode variar amplamente, dependendo de diferentes fatores, como cultura, contexto social e experiências individuais.


Cada vez mais fica evidente que o futuro do nosso mundo está em nossas mãos.

Temos que agir com bom senso e responsabilidade para, juntos, construímos um mundo melhor e mais justo para todos. O futuro dos jovens é uma das principais preocupações dos países desenvolvidos e em desenvolvimento”, frisou Marina, afirmando que, “integrar jovens no mercado de trabalho é sem dúvida, um desafio para todos nós”.



Renan Godoy, Hugo Teruya, Mariana Teruya, William Goya, Erick Okino, Inetaro Arizuka e Max Hasimoto.


Aprendizado – Para ela, assumir a presidência da JCI Brasil-Japão, é uma oportunidade “de aprendermos com os outros e fortalecer suas habilidades”. “Assim, vamos buscar projetos inovadores que estimulem o aprendizado e o crescimento profissional de cada um. Para cumprirmos nossas metas e alcançarmos o êxito, precisamos enfrentar alguns desafios, sempre com equilíbrio, aptidão e determinação. É preciso ter humildade o bastante para reconhecer quando erramos, forte o bastante para enfrentá-los e saber harmonizar as ideias com o grupo para conseguir a vitória”, concluiu Marina Fukuhara.


Durante a cerimônia, foram realizadas as cerimônias de distintivação de novos membros: Renan Godoi Penna, Mariana Teruya, Erick Kaoro Okino e Inetaro Arizuka. Foram empossados também o novo Conselho Diretor 2024; a Diretoria 2024; o Conselho Fiscal e o Conselho Consultivo.


Após os discursos, os convidados se dirigiram ao Salão dos Espelhos da Alesp para a cerimônia do Kagami Biraki. Coube ao presidente da Fundação Kunito Miyasaka, Roberto Nishio, fazer o brinde.

Créditos da matéria e fotos: Aldo Shiguti - Nipponjá Agradecemos ao Portal Nipponjá pela cobertura deste importante evento.

Leia a matéria original:

9 visualizações0 comentário
bottom of page